TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM

Compreenda um pouco mais...

Vamos falar primeiramente dos TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.

Existem crianças que, apesar de um desenvolvimento perfeitamente dentro da expectativa, não conseguem aprender.

Elas tem inteligência normal.

Elas tem estruturas cerebrais normais.

Elas tem vontade de aprender.

Mas, não conseguem!!!

É como se esse cérebro não conseguisse funcionar bem quando a assunto é leitura, escrita ou matemática.

Esses casos recebem a denominação de TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM e podem ser suspeitados até mesmo antes do período da alfabetização, mas o diagnóstico só será confirmado quando a criança alcançar 8 ou 9 anos.

INTERNATIONAL DYSLEXIA FOUNDATION aponta para a ocorrência desses transtornos em aproximadamente 15% a 20% da população.

O prejuízo tem origem neurobiológica. Ou seja, ocorre devido a alterações no funcionamento da engrenagem que movimenta todo o processo de aprendizagem dentro do cérebro da criança. E tem influência genética.

Comprovadamente, notam-se vários casos dentro de uma mesma família e maior presença em irmãos gêmeos idênticos. Portanto, se alguém na família tem ou teve na infância muita dificuldade para aprender, é melhor estar atento.

Assim, fica bem claro que não é falta de interesse. É, de fato, uma limitação e a criança não “se defende” sozinha.

E como identificar se é esse o motivo pelo qual a criança não aprende?

Já lhe adiantamos, não é tão fácil.

Mas, alguns sinais podem ser observados desde antes da alfabetização.

Na pré-escola, por ter dificuldades no processo inicial de aprendizagem, a criança pode se mostrar dispersa, sem muito interesse pelos livros e apresentar limitações em relação à sua coordenação motora, dificuldade em montar um quebra-cabeça ou em memorizar os números.

E muitíssimo importante: muitas crianças com transtorno de aprendizagem apresentam atraso para começar a falar e podem ter dificuldades com rimas e canções.

Aos 6 anos, na fase escolar, a professora passa a observar que a criança tem dificuldade em copiar do quadro, em escrever as letras. É como se toda a turma caminhasse e ela claramente ficasse para trás.

E isso acontece sem que o professor perceba nada de tão atípico em outras questões, como por exemplo, em seu comportamento ou em sua interação social. Ou seja, não se encontra nada que justifique tamanho atraso.

Porém, com o passar do tempo e com a frustração essas crianças podem se sentir tristes ou irritáveis, podem se isolar ou ficar agressivas.

Mas tudo como consequência de sua insatisfação em relação à (não) aprendizagem e à toda cobrança muitas vezes imposta.

Não deve ser fácil perceber que todos à sua volta conseguem unir as letrinhas e criar palavras, criar um mundo de imaginação letrado, não é mesmo?

Esperamos que até aqui tenha ficado claro que existe um transtorno específico de aprendizagem e como ele pode ser percebido nos anos iniciais da criança.

Infancia & Comportamento

Categorias
BlogrollCriançasNeuropsicopedagogiaTranstornos

Criador do Neurotópicos, é Pedagogo, Neuropsicopedagogo e Estudioso de Filosofia Oriental há 30 anos, defende a prática da meditação para uma saúde física e mental plenas. Busca divulgar seu trabalho na área da educação como uma importante ferramenta a educadores.

ARTIGOS RELACIONADOS

  • Transtorno do Espectro Autista (TEA)

    Transtorno do Espectro Autista (TEA). Desde 2013, quando foi lançado o último Manual Diagnóstico e Estatístico de Distúrbios Mentais da Associação Americana de Psiquiatria, o DSM-5, a classificação do...
  • Dificuldade de Aprendizagem

    Dificuldade de aprendizagem é uma expressão que se refere a um grupo heterogêneo de distúrbios manifestados por dificuldades intensas na aquisição e utilização da compreensão auditiva, da fala, da...
  • Haste, “Criado mini cérebro”.

    Um mini cérebro criado em um tubo de ensaio. É um novo passo em frente na busca por uma equipe de pesquisadores austríacos, em colaboração com colegas alemães, que construíram uma espécie...
  • TDAH… Meu filho tem… isso é sério?

    Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade   Calma! Não se preocupe! É comum entre crianças e pré-adolescentes, podendo atravessar a adolescência e chegar até a fase adulta. Crianças...