Novidades no Tratamento dos Tumores Cerebrais/SNC

Pesquisas sobre tumores cerebrais e do sistema nervoso central estão em desenvolvimento em diversos centros médicos no mundo inteiro, promovendo grandes avanços em prevenção, detecção precoce e tratamentos: Genética...
Pesquisas sobre tumores cerebrais e do sistema nervoso central estão em desenvolvimento em diversos centros médicos no mundo inteiro, promovendo grandes avanços em prevenção, detecção precoce e tratamentos:
  • Genética

Os pesquisadores estão estudando alterações no interior de células cancerosas no cérebro para ver como podem ser utilizadas no tratamento. Por exemplo, já se sabe que pacientes com oligodendrogliomas em cujas células faltam peças de determinados cromossomos, conhecidos como cossupressão 1p19q, são muito mais propensos a serem ajudados pela quimioterapia.

  • Técnicas de Imagem e Cirúrgicas

Os recentes avanços tornaram a cirurgia de tumores cerebrais muito mais segura e eficaz. Algumas dessas técnicas incluem ressonância magnética funcional, espectroscopia de ressonância magnética, cirurgia guiada por fluorescência e outras abordagens cirúrgicas mais recentes para alguns tipos de tumores.

  • Radioterapia

Novas técnicas radioterápicas, como radioterapia conformacional tridimensional, radioterapia de intensidade modulada e radioterapia conformacional com feixes de prótons, permitem que os radioterapeutas planejem o tratamento de forma que a maior dose de radiação seja liberada diretamente no volume alvo.

Novos métodos de planejamento de tratamento também estão sendo avaliados, por exemplo, a radioterapia guiada por imagem (IGRT) utiliza a tomografia computadorizada antes de cada tratamento para posicionar o feixe de radiação com precisão no órgão alvo.

  • Quimioterapia

Abordagens mais recentes podem ajudar a tornar a quimioterapia mais eficaz. Além disso, para o desenvolvimento de novos medicamentos quimioterápicos, muitos pesquisadores estão avaliando novas maneiras de administrar a quimioterapia para os tumores cerebrais.

Muitos quimioterápicos são limitados quanto a sua eficácia porque a barreira hematoencefálica, impede que eles alcancem a corrente sanguínea. Atualmente, os pesquisadores estão tentando modificar algumas dessas drogas revestindo-as com pequenas camadas de gordura ou anexando-as às moléculas que normalmente atravessam a barreira, para torna-las mais eficazes. Esta é uma área ativa das pesquisas e ensaios clínicos.

Outro método mais recente denominado distribuição de convecção reforçada, uma sonda é colocada dentro do tumor no cérebro por um pequeno orifício no crânio durante a cirurgia. Essa sonda é conectada a uma bomba de infusão, para administração das drogas quimioterápicas. Este método ainda é experimental.

Novas Estratégias de Tratamento

Os pesquisadores também estão testando novas abordagens para o tratamento que ajudem os médicos a alcançar os tumores de forma mais precisa. Em teoria, isso deve permitir tratamentos mais eficazes com efeitos colaterais. Vários desses tratamentos ainda estão sendo estudados.

  • Vacinas

Várias vacinas têm sido desenvolvidas contra as células tumorais do cérebro. Ao contrário das vacinas contra doenças infecciosas, estas vacinas são destinadas ao tratamento da doença. O objetivo das vacinas é estimular o sistema imunológico a atacar os tumores cerebrais.

Os primeiros resultados do estudo de uma vacina para tratar o glioblastoma se mostraram promissores, mas ainda são necessários mais pesquisas para determinar sua eficácia. Atualmente, as vacinas para tumores cerebrais estão disponíveis apenas nos ensaios clínicos.

  • Inibidores da Angiogênese

Os tumores necessitam criar novos vasos sanguíneos (angiogênese) para manterem as células nutridas. Novos medicamentos que atacam esses vasos sanguíneos são usados para ajudar a tratar alguns tipos de câncer. Um destes medicamentos, o bevacizumab já é usado para tratar recidivas do glioblastomas, pela sua capacidade de reduzir ou retardar o crescimento de alguns tumores.

Outras drogas que impedem o crescimento dos vasos sanguíneos, como cilengitide, sunitinib e sorafenib, estão sendo estudadas e estão disponíveis em ensaios clínicos.

  • Fatores Inibidores do Crescimento

As células tumorais são geralmente muito sensíveis às proteínas chamadas fatores de crescimento, que promovem seu crescimento e divisão. Já estão disponíveis novas drogas que combatem alguns desses fatores de crescimento, retardando o crescimento das células tumorais ou até mesmo destruindo-as. Várias dessas drogas alvo já são utilizadas para outros tipos de câncer, e no momento estão sendo avaliadas para uso em tumores cerebrais.

  • Sensibilizadores de Células Hipóxicas

Algumas drogas aumentam o teor do oxigênio nos tumores, tornando as células tumorais mais susceptíveis à radioterapia. Estudos estão em andamento para avaliar se este tipo de drogas pode melhorar a eficácia do tratamento.

  • Tratamento com Campos Elétricos

O sistema NovoTTF-100A foi recentemente aprovado para o tratamento de glioblastomas nos Estados Unidos. Nesta técnica, 4 eletrodos, ligados a uma bateria, são colocados sobre o couro cabeludo.

Estes eletrodos geram corrente elétrica moderada, que interage com as células tumorais do cérebro mais do que com as células normais. Os pacientes que participaram de ensaios clínicos obtiveram resultados similares à quimioterapia, além de uma melhor qualidade de vida devido à diminuição dos efeitos colaterais.

Fonte: American Cancer Society

Categorias
AdultosBlogrollGeralNeurologiaNeuropatiasNotíciasRenato GomesSaúde

Criador do Neurotópicos, é Pedagogo, Neuropsicopedagogo e Estudioso de Filosofia Oriental há 30 anos, defende a prática da meditação para uma saúde física e mental plenas. Busca divulgar seu trabalho na área da educação como uma importante ferramenta a educadores.
Ainda não há comentários. Seja o(a) primeiro(a) a comentar!

Faça seu comentário no campo abaixo

*

*

ARTIGOS RELACIONADOS

  • TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM

    Vamos falar primeiramente dos TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM. Existem crianças que, apesar de um desenvolvimento perfeitamente dentro da expectativa, não conseguem aprender. Elas tem inteligência normal. Elas tem estruturas cerebrais...
  • Haste, “Criado mini cérebro”.

    Um mini cérebro criado em um tubo de ensaio. É um novo passo em frente na busca por uma equipe de pesquisadores austríacos, em colaboração com colegas alemães, que construíram uma espécie...
  • Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA)

    O que é esclerose lateral amiotrófica? A esclerose lateral amiotrófica (ELA) é uma doença neurodegenerativa fatal de causa desconhecida que acomete os neurônios motores, responsáveis pelos movimentos voluntários. É...
  • Neuroblastoma (Câncer dos Neuroblastos)

    O neuroblastoma é um câncer que se inicia nos neuroblastos do sistema nervoso simpático. Cerca de 30% dos neuroblastomas começam nas glândulas suprarrenais. Aproximadamente 25% se iniciam nos gânglios...