Enxergando a vida de diferentes ângulos

Coaching por Sulamita Martins

Na verdade nós vivemos a realidade que nosso cérebro cria a partir de percepções do mundo exterior. A riqueza do mundo exterior é extremamente vasta para que possa ter sentido para o nosso sistema nervoso.

À partir das informações colhidas no mundo externo pelos nossos órgãos dos sentidos, ” filtramos” um grande número de informações, simplificando e depois trabalhando com aquelas que são interessantes segundo nossas crenças, valores, pressuposições, entre outros fatores.

 

Ou seja, vivemos nossa própria realidade!

 

Uma boa analogia é feita com um território e o seu respectivo mapa. Por mais detalhado que seja o mapa, ele não é o território. Para a construção do mapa sempre se dará maior relevância a uma determinada informação (por exemplo: vegetação em detrimento do relevo ou bacias hidrográficas).

O corpo humano, com certeza, é visto de modo diferente pelo médico, artista plástico e pelo fisioculturista. Ou seja, o mesmo mundo externo é visto e entendido diferentemente por três sistemas nervosos distintos sendo que a atividade profissional agiu apenas como filtro.

Nossas crenças, valores, profissões, cultura, interesses, memórias, experiências anteriores, etc, agem como filtros das experiências que extraímos do mundo exterior. E quais os mecanismos que o cérebro utiliza para construção dos mapas?

 

 

Parte do mundo externo é simplesmente omitida. Por exemplo: ao descrevermos uma árvore podemos salientar seu tamanho, cor, se tem flores ou não e omitir toda a curvatura de seus galhos ou o número deles, e assim por diante. Ou seja, a partir de uma experiência conhecida generalizamos para as próximas. É o que nos permite saber que ao girarmos a válvula de uma torneira sairá água. Se não fosse assim cada vez que você visse uma torneira teria que estudá-la para saber como ela funciona. Você se lembra da primeira vez que esteve frente a uma torneira de sensor eletrônico? Por acaso você ficou procurando a válvula. É o que nos dá a capacidade de criatividade. Você pode imaginar como seria se você tivesse duas asas e pudesse voar entre as nuvens?

 

É sofrendo a intervenção desses mecanismos e filtros que montamos nossa representação interna (nosso mapa) a respeito do mundo. Não existe um mapa melhor ou pior. A pergunta aqui seria; melhor em relação a quê? Existe um mapa mais rico em opções, portanto mais flexível frente a uma situação externa.

 

Sendo assim, teremos como elemento controlador de uma situação, o elemento mais flexível. Quanto maior o número de comportamentos seu possíveis maior a chance de sucesso.

Ter um caminho só para atingir seu destino pode ser perigoso. Portanto, que tal mais flexibilidade?

Sigamos avante!

Categorias
AdultosBem-estarBlogrollColaboradoresColunistasContatoEquipeGeralSaúdeVariedades
Ainda não há comentários. Seja o(a) primeiro(a) a comentar!

Faça seu comentário no campo abaixo

*

*

ARTIGOS RELACIONADOS

  • Dificuldade de Aprendizagem

    Dificuldade de aprendizagem é uma expressão que se refere a um grupo heterogêneo de distúrbios manifestados por dificuldades intensas na aquisição e utilização da compreensão auditiva, da fala, da...
  • TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM

    Vamos falar primeiramente dos TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM. Existem crianças que, apesar de um desenvolvimento perfeitamente dentro da expectativa, não conseguem aprender. Elas tem inteligência normal. Elas tem estruturas cerebrais...
  • Consumo de açúcar e alterações neurológicas

    O consumo excessivo de alimentos açucarados tem sido associado a uma série de alterações neurológicas, uma vez que o açúcar pode predispor ao aumento de citocinas inflamatórias que prejudicam...
  • Haste, “Criado mini cérebro”.

    Um mini cérebro criado em um tubo de ensaio. É um novo passo em frente na busca por uma equipe de pesquisadores austríacos, em colaboração com colegas alemães, que construíram uma espécie...